quinta-feira, 23 de abril de 2015

Thor Vol 1 146 a 150 - Novembro/1967 a Março/1968



EDIÇÃO ANTERIORARCO / ANOPRÓXIMA EDIÇÃO
03 - SILVER AGE / 1968Daredevil 35 a 38

O castigo de Odin nunca é simples, mas algumas vezes beira a insanidade. Cheio de maus exemplos, Odin acaba descarregando sua fúria em Thor, que carrega o fardo de sua teimosia e lealdade ao humanos mortais. Mesmo perdendo seus poderes e ficando só com sua força, o deus do trovão continua firme e forte em sua conduta em midgard, não importa o que aconteça. Para sua sorte, ele tem amigos!








Thor continuava seus treinamentos circenses com o Mestre do Picadeiro e a turma do Circo do Crime, sem perceber que estava sendo manipulado pelo hipnotismo do líder daquele bando. O plano de roubar uma estátua de ouro seguia sendo desenvolvido, mesmo sem que eles soubessem que aquele fortão era o verdadeiro Thor.



O Mestre do Picadeiro arruma uma roupa igual à do herói para dar ao seu novo contratado e eles terminam mais um show antes de seguir para o local onde o crime seria praticado, com Thor hipnotizado mais uma vez.



O grupo do circo cuida dos guardas do local enquanto Thor é guiado pelo Mestre do Picadeiro para a sala onde a enorme estátua estava. Thor carrega o monumento de ouro, mas a segurança do museu e a polícia conseguem chegar até a sala, distraindo o líder do bando que acaba perdendo controle sobre Thor.



O herói é ameaçado pela polícia, quase prende a Princesa Piton com a estátua, mas acaba devolvendo o monumento ao local correto. Mesmo assim, Thor acaba sendo preso, enquanto a Princesa Pithon tenta argumentar por ele tanto com a polícia como com o Mestre do Picadeiro. A trupe do Circo do Crime foge do local, abandonando Thor.



Em Asgard, Odin decide deixar Loki retornar do exílio, dizendo que já era hora do castigo acabar, porém Sif e Balder ficar indignados com aquela decisão e pedem que Odin devolva os poderes para Thor. Odin nega e Loki percebe que seu meio-irmão estava em apuros na Terra.



Loki vai escondido até Midgard e paga a fiança de Thor só para poder enfrentá-lo, aproveitando que o herói estava sem poderes divinos além de sua força. Eles brigam nas ruas com Loki finalmente dando uma bela sova no seu meio-irmão...



... até que Sif e Balder, que assistiam tudo em Asgard, decidem interferir e impedem o golpe fatal de Loki. Odin acaba percebendo a bagunça e a desobediência de todos e ganha motivos para mais um acesso de fúria, tirando também os poderes divinos dos três. Loki foge do local, enquanto Thor, Sif e Balder ficam jogados aqui na Terra.



Loki tenta entrar em contato com a rainha Norn Karnilla para pedir que ela lance um feitiço que devolva seus poderes, mas é surpreendido por um assaltante conhecido como Destruidor, famoso por arrebentar as casas que roubava. Loki, em seus trajes terrenos e sem seus poderes, acaba sendo derrubado pelo Destruidor e seu pé-de-cabra.



O Destruidor acha o elmo de Loki e o coloca na cabeça, mas nesse momento Karnilla aparece e vê o chamado de Loki. Achando que o bandidão era Loki, ela lança um feitiço nele e concede enormes poderes ao desavisado vilão.



Sem saber bem como usar os poderes, o Destruidor vê Loki acordar, devolve seu elmo e envia o deus da trapaça de volta para Asgard. Enlouquecido, o bandidão decide sair destruindo tudo por aí e Thor, Sif e Balder vêem o maluco na TV anunciando seus poderes asgardianos. Mesmo sem poderes, eles decidem tentar deter a ameaça.



Quando o trio asgardiano encontra o Destruidor, o vilão usa novamente seus poderes para também mandar Sif e Balder de volta à Asgard e enfrentar Thor sozinho. Thor começa a tomar uma bela surra, enquanto Sif e Balder tentam novamente pedir à Odin que devolva os poderes para Thor, mas ouvem mais uma negação.



Para evitar que Odin visse o que estava acontecendo com Thor, Loki rouba o cristal místico que permitia à seu pai ver o que acontecia em outros mundos. Diante da insistência de Sif e Balder e do aviso sobre a possível morte de Thor, Odin decide ver o que estava acontecendo e eles descobrem que o cristal sumiu. Os dois amigos imaginam que aquilo era obra de Loki e Odin finalmente autoriza que a dupla persiga seu filho trapaceiro.



Enquanto isso, na Terra, o Destruidor derruba um prédio em cima de Thor e acha que o deus do trovão havia morrido. Quando o vilão vai embora, Hela, outra rainha Norn que cuidava do espírito dos asgardianos quando morriam, aparece para buscar Thor e percebe que ele ainda estava vivo e sua forma astral se negava a partir. O "fantasma" de Thor acompanha o rastro do Destruidor, mas não consegue enfrentá-lo daquela forma.




De volta à Asgard, Loki tenta evitar que Balder e Sif o encontrem. Sif é aprisionada por Karnilla e vê o corpo de Thor agonizando na Terra. Karnilla usa os sentimentos de Sif, que queria desesperadamente ajudar Thor, para convencê-la a usar sua própria alma para controlar a armadura do Destruidor, abandonada tempos atrás. Sif aceita a proposta e tem sua alma transportada para dentro da poderosa armadura, que é enviada para a Terra e o Destruidor de metal derruba o Destruidor de carne e osso



Nesse momento, a forma astral de Thor retorna para seu corpo e ele desperta. Um imenso incômodo para o poderoso asgardiano até aqui, mas nesse momento, é preciso interromper a história para organizar cronologicamente os acontecimentos (mesmo faltando alguns poucos quadros nessa edição).




Tudo de ruim acontecendo com um deus desprovido de seus poderes. Nessa longa sequência, Thor passa um perrengue enorme na Terra, graças à sua paixão por esse planeta, mas esse sentimento traz sofrimento e muita dor. Uma das poucas coisas boas que acontece com Thor nessa passagem (se é que isso realmente é bom para ele...) é quando ele avista Jane Foster na platéia do circo com outro cara. Ele aceitou definitivamente o fim do relacionamento com a enfermeira, e a vida segue.



Segue tão normalmente, que ele passa o tempo assistindo TV (com o Homem Aranha aparecendo na telinha)...



... e até comida delivery o deus do trovão está pedindo!



O que estaria acontecendo com Odin? Acessos de loucura com gritos descontrolados, tentativas de controlar tudo e todos... Qual o sentido disso? Seria TPM, carência, ou sono?




* Apesar dessa história começar em 1967, por ser uma grande sequência interligando diversas edições ela se encaixa melhor nesse momento da cronologia.
** Outra observação cronológica à se considerar é que, mesmo a história em Thor 151 começar imediatamente após o fim da edição 150, é preciso interromper a linha cronológica logo após o retorno da forma astral de Thor para seu corpo, quase no final da edição 150. Como ele aparece na revista do Quarteto Fantástico antes de voltar à perseguir o Destruidor, conforme mencionado naquela revista, aquele momento precisa acontecer antes do fim da história da edição 150.


Publicada no Brasil
O Poderoso Thor (Bloquinho Sensacional) n° 10 e 11


1 comentários :

  1. KKKKKKKK Acho que o Odin tá é matusquela mesmo kkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados.