segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Avengers Vol 1 40 - Maio/1967


EDIÇÃO ANTERIORARCO / ANOPRÓXIMA EDIÇÃO
03 - SILVER AGE / 1967Daredevil 26

Pegar uma característica de cada história e juntar em uma aventura nova é uma tentativa que, na Marvel, quase sempre dá certo. Aqui temos um monarca submarino tentando proteger sua cidade natal, sendo influenciado por um objeto do mal e enfrentando uma equipe verdadeiramente heróica.



Namor é avisado sobre um submarino que testava armamento pesado nas profundezas do oceano e decide deter a experiência, porém após obter sucesso em sua empreitada, o príncipe submarino percebe os sinais de radio emitidos pelo submarino encalhado. Ao perceber que mais submarinos viriam, Namor decide ir à superfície e atacar a base militar inteira, acabando de vez com as experiências em seus domínios.



Os Vingadores argumentavam que não acreditavam na traição do Capitão América, e coincidentemente recebem uma chamada do sentinela da liberdade, dizendo que ele realmente estava fingindo, e alertando-os sobre a existência do Cubo Cósmico, perdido no mar, já que o Caveira havia voltado.



A Feiticeira Escarlate não aguentou os efeitos de sua última batalha e desmaia na Mansão Vingadores, e Mercúrio decide ficar para cuidar dela. O restante do grupo do grupo parte em busca do artefato misterioso, levando Hercules junto, após ele se oferecer para ajudar.



Ao patrulhar o local indicado pelo Capitão, eles encontram o príncipe submarino atacando a base militar e o enfrentam, porém Hercules menciona o Cubo Cósmico, fazendo com que Namor peça aos peixes que procurem o artefato. Logo o monarca é avisado sobre onde estava o pequeno cubo e se apodera dos enormes poderes emitidos pela coisa.



Namor altera a forma do cubo para um amuleto e o pendura no pescoço. Os Vingadores tem que se virar para tentar derrotar seu oponente, que criava monstros e até terremotos, até que a Vespa percebe que o poder vinha do amuleto e lança um ferrão no local certo, deixando o poderoso artefato cair na fenda profunda criada pelo terremoto.





A fenda se fecha, impedindo que alguém pudesse alcançar o cubo. Sem os poderes do artefato, percebendo que estava fora d'água por muito tempo e com mais militares chegando, Namor decide abandonar a luta e retorna para as profundezas do oceano.



Uma bela luta, mostrando o quanto Hercules é importante para o grupo. Com a ajuda dele, o grupo fica mais poderoso e pode voltar a lutar com seres que realmente se caracterizam como ameaças à Terra. Chega de bandidinhos...



O Gavião Arqueiro passa a ter uma postura muito mais amistosa com o Capitão América e defende os princípios do bandeiroso, fato esse que é reconhecido pelo restante do grupo.



Mas ele também continua pensando em sua amada Viúva Negra, também sem acreditar na traição dela, porém ela apronta mais uma e rouba uma aeronave na base do General Thunderbolt Ross.



Como já havia falado anteriormente, o roteirista que mais se preocupava com a cronologia da Marvel nos anos 60 era Roy Thomas. O trabalho que ele faz costurando fatos e dando liga ao universo criado por Stan Lee é exemplar.



E temos quase uma cena pós-créditos na história, assim como virou febre no universo cinematográfico da Marvel, mostrando o Toupeira, ainda nas profundezas da Terra, encontrando o Cubo Cósmico nas profundezas da Terra e descartando-o, pensando que aquilo era apenas um brinquedo de criança. Essa é a Marvel, deixando seus easter-eggs por aí desde os primórdios!



http://marvel.wikia.com/Avengers_Vol_1_40


Publicada no Brasil
Sem Informação

3 comentários :

  1. Cara se tem um personagem marvel que tem o meu respeito por sua visão de mundo e suas atitudes(apesar da sunguinha!!).Esse é o Namor!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André, eu também curto muito o personagem, mas prefiro quando ele é o protagonista. Como vilão, não sinto tanta firmeza... Acho que propósitos dele um tanto quanto egoístas. Mas não se pode negar que é um personagem de respeito!

      Excluir
  2. Pois eu já curto essa abordagem meio vilanesca no personagem justamente pelo seu egocentrismo e de como ele ver certos aspectos na humanidade.Afinal de contas ele é o senhor da Atlântida e a sociedade em seu reino por mais que tenham certos aspectos da humanidade também, é uma raça diferente.Mas é claro que ele como protagonista é bem melhor!!

    ResponderExcluir

Os comentários são moderados.