sábado, 25 de janeiro de 2014

X-Men Vol 1 20 e 21 - Maio e Junho/1966


EDIÇÃO ANTERIORARCO / ANOPRÓXIMA EDIÇÃO
03 - SILVER AGE 1966

Uma grande bagunça é o enredo dessa história dos mutantes. Três grandes inimigos reunidos contra o grupo de heróis homo-superior causam muita confusão na cabeça das pessoas e a discussão sobre a aceitação dos mutantes retorna à pauta. Mesmo que a reunião desses três inimigos não seja tão explícita como a Irmandade de Mutantes, surge um perigo real. Mas o que mais chama a atenção é a revelação sobre como o Professor X perdeu os movimentos de suas pernas.


Um assalto em um banco da cidade executado por dois mutantes usando as roupas dos X-Men (só desconfiamos por causa do charuto) tenta gerar desconfiança da população pelos heróis. Blob e Unus se uniram e usam seus poderes para as contravenções e causam indignação do povo com os mutantes amarelos.



Na escola dos mutantes, Ciclope abandona a turma por não poder se relacionar com a Garota Marvel graças aos seus poderes, que ele entende serem um risco à moça. Antes que os demais percebam a ausência dele, um telejornal anuncia o roubo executado pelos X-Men falsos e o Professor X chama todos para um plano de retaliação.



Mesmo após descobrirem o bilhete de despedida do Ciclope, os jovens mutantes vão à cidade tentar interferir em um novo assalto dos dois farsantes. Xavier desconfia que alguém manipulava a dupla, mas não conseguia identificar a origem do sinal mental que pairava sobre os dois mutantes do mal.



A trama toda foi feita por Lucifer, que manipulou Blob e Unus para se encontrarem, se unirem e passassem a executar o plano para difamar os mutantes. E o plano parecia dar certo, principalmente quando Ciclope encontra os dois assaltantes antes do resto do grupo de heróis e a dupla finge que Ciclope fazia parte da gangue.



A multidão civil se irrita e parte para cima dos mutantes, fazendo com que Ciclope tivesse que recuar. O Anjo, o Fera e o Homem de Gelo chegam um tempo depois e lutam com a dupla de bandidos que continuava fingindo que todos ali eram assaltantes, até que Ciclope volta e ajuda seus colegas mandando Blob e Unus para um buraco... Só que os dois fogem pelos túneis do metrô e isso causa mais mal estar com a população.



Como o Professor X usava um amplificador para seus poderes mentais para rastrear a origem do plano, Lucifer ativa uma máquina que segue as ondas mentais de Charles Xavier e o ataca,  deixando-o paralisado. A Garota Marvel usa seus poderes telecineticos para ler os fracos pensamentos de seu professor e descobrir o nome de Lucifer.



Xavier conta psiquicamente à Jean a história sobre como conheceu Lucifer e ela descobre que o oponente é representante de uma raça alienígena que tentou invadir a Terra tempos atrás e que Charles Xavier liderou o movimento contra e acabou sendo atingido por um bloco de ferro jogado do teto, que tirou os movimentos de suas pernas.




Os demais X-Men chegam e Jean entrega ao Fera um projeto de um distorcedor de ondas para que ele construa. Ao usar o equipamento, o professor é libertado e eles pegam o avião para encontrar Lucifer, mas logo o avião é atacado e eles são forçados a aterrissar.



Alguns humanos tentam atrapalhar outra vez mas são logo dispensados vergonhosamente...



... só que os X- Men também são alvos fáceis e eles acabam capturados dentro da fortaleza de Lucifer. Tendo a atitude padronizada de todo vilão patético, Lucifer conta ao Professor X sobre o plano de sua raça para conquistar o planeta enquanto os jovens ficam aprisionados em uma jaula de vidro.



Até que a Garota Marvel consegue usar seus poderes telecineticos para abrir a jaula e os mutantes passam a atacar os robôs, que vinham em direção à eles de forma descontrolada. Eles se desentendem um pouco com os comandos mentais do professor, pois não sabiam se eram comandos reais, mas no fim tudo acaba dando certo.



Quando todos os robôs caem, Lucifer tem que se explicar com seu mestre e acaba sendo banido para outra dimensão. O Professor X confessa que conseguiu manipular os pensamentos de Lucifer e, por essa razão, os ataques dos robôs foram tão atabalhoados.




O histórico de vida do Professor X é um tanto quanto obscuro. Ele contou que era fascinado pela história da cidade sitiada por Lucifer, decide conhecer o local e chega arrumando confusão com o tirano, organizando grupos dissidentes. Intrometido demais, não é mesmo? Mas o pior é que chega a ser vergonhoso essa tragédia com Charles Xavier ter acontecido pelas mãos do patético Lucifer.



E a tensão amorosa, que volta e meia retorna à pauta, mostra que Scott Summers e Jean Grey se gostam mas não se conversam sobre isso, gerando até atitudes que ofendem ao outro - principalmente à moça. Mas ela não poderia ler os pensamentos do seu colega? Nesses assuntos o Professor X não se mete?



Como dito no começo do post, o enredo é uma bagunça. Essa bagunça tentou arrumar um pouco a rasa história anterior do inimigo do Professor X, mas não ajudou muito. E a bagunça é tanta que até os nomes dos personagens são trocados! O Fera foi chamado de Warren (que é o Anjo) e o Homem de Gelo virou Bobby Blake (mistura de Don Blake com Bobby Drake)




E eu não sabia que robôs sentiam dor...



http://marvel.wikia.com/X-Men_Vol_1_20
http://marvel.wikia.com/X-Men_Vol_1_21



Publicada no Brasil
Biblioteca Histórica Marvel - Os X-Men Vol 2




0 comentários :

Postar um comentário

Os comentários são moderados.