domingo, 24 de novembro de 2013

Amazing Spider-Man Vol 1 32 e 33 - Janeiro e Fevereiro/1966


EDIÇÃO ANTERIORARCO / ANOPRÓXIMA EDIÇÃO
03 - SILVER AGE /
<Se Esse é o Meu Destino...>
1966

Uma das historias mais clássicas do Homem Aranha é contada nessas edições da revista Amazing Spider-Man (e uma das capas mais icônicas do cabeça de teia na edição 33). Um drama obra-prima de Lee e Ditko, com todos os ingredientes que tornam o Aranha um herói diferenciado. Ele não é somente um jovem inseguro... ele possui também um lado cheio de ira, que trabalha inconsequentemente quando procura por um resultado.



A história já começa revelando a identidade do Planejador Mestre e é ninguém menos que o Dr Octopus, esquecido desde que foi preso após a criação do Sexteto Sinistro. Logicamente que ele não aceitou as interferências do Homem Aranha e planeja continuar sua onda de roubos de produtos radiativos.



E Peter vai ao Clarin vender umas fotos na tentativa de ganhar algum dinheiro, mas além de tomar uma negativa de Jameson, ainda teve que confrontar Betty Brant e Ned Leeds. Ela pressiona Peter para que ele dê alguma satisfação à ela sobre o relacionamento dos dois, já que Ned a pediu em casamento. Ele rispidamente tenta mantê-la longe, já que ela não gosta do Homem Aranha.



O dinheiro que Peter queria serviria para pagar as despesas com a internação da Tia May, que foi diagnosticada com radiação no sangue. Peter se lembra que doou sangue para a simpática velhinha tempos atrás, e se culpa pelo que está acontecendo com ela, da mesma forma que ele se culpa pela morte do seu Tio Ben. (Stan anunciou um prêmio para quem lembrasse a edição em que ocorreu isso, e como sempre a Cronologia Lógica Marvel sabe!)



O jovem põe sua roupa de herói e vai encontrar um especialista em doenças desse tipo, que ele conheceu anteriormente. O Dr Connors o ajuda mais uma vez e encomenda uma substância nova no mercado que poderia tratar a idosa. Peter faz de tudo para conseguir o dinheiro, vende alguns equipamentos e empresta dinheiro no banco...



... mas a substância química interessava ao Dr. Octopus e ele ordena o roubo. Ao saber o que acontecera, o Aranha perde as estribeiras e parte para recuperar a substância. E ai de quem passasse em sua frente. Investigando por todos os cantos, ele descobre o esconderijo submerso no oceano e o disfarce de Octopus e destila sua raiva em uma luta nervosa.



Só que a empolgação foi tanta que o Aranha derruba uma viga e todo o lugar começa a desmoronar. Octopus foge, mas o Homem Aranha fica preso debaixo dos escombros e, cansado, sem dormir, machucado e preocupado, não encontra forças para levantar todo aquele peso e assiste o teto cedendo à pressão do mar acima de sua cabeça, ameaçando inundar tudo.



O herói pensa em sua tia internada, com o prazo se esgotando e novamente usa seu desespero para arrancar forças sabe-se lá de onde para conseguir se livrar dos escombros e consegue escapar no último momento antes da água invadir o local. 



Ele ainda tem que enfrentar os capangas do Planejador Mestre do lado de fora e, praticamente sem forças, fecha os olhos e bate no que estiver em seu alcance. Ele consegue derrubar todos e se arrasta, todo machucado, até o laboratório do Dr Connors.



O teste com a experiência funcionou e o Homem Aranha leva o material ao hospital. Enquanto espera o resultado, o herói volta ao esconderijo do Planejador Mestre, tira suas fotografias e avisa Foswell sobre o furo de reportagem. É o suficiente para deixar Jameson alucinado com a matéria e extorquir dele uma boa grana com as fotos...



... apesar de Betty Brant ficar apavorada ao ver o jovem todo machucado e lembrar de seu falecido irmão, morto por causa de confusões que ele arrumava por aí.



Depois daquela maré de azar que Peter enfrentou, estava mais do que na hora das coisas melhorarem para ele. Mesmo com o extremo sacrifício pelo qual teve que passar, as coisas deram certo para o jovem universitário escalador de paredes. Muita força de vontade (ou talvez vontade E força) guiaram o herói nessa aventura onde ele enfrenta tudo o que é possível... super-vilões, dor, angústia, cansaço, falta de dinheiro... Ufa!!!



Só para se ter uma ideia, a sequência em que o Homem Aranha encontra-se preso nos escombros é tão tensa e tão intensa que dura SETE páginas (contando nas duas edições) e a gente nem percebe! Fenomenal!



Parabéns Peter, conseguiu ajudar a salvar sua tia. E nos deu uma história magistral!

0 comentários :

Postar um comentário

Os comentários são moderados.